Blog

nome do post A Páscoa e sua Alimentação Escrito por:
Nutrição 10 de Abril de 2017

Confira o artigo escrito pela nutricionista Integral, Marcia, e descubra como a páscoa afeta sua alimentação!

O nome páscoa surgiu a partir da palavra hebraica "pessach" ("passagem"), que para os hebreus significava o fim da escravidão e o início da libertação do povo judeu (marcado pela travessia do Mar Vermelho, que se tinha aberto para "abrir passagem" aos filhos de Israel que Moisés ia conduzir para a Terra Prometida).

Para os cristãos, a Páscoa é a passagem de Jesus Cristo da morte para a vida: a Ressurreição. A passagem de Deus entre nós e a nossa passagem para Deus. É considerada uma nova vida, oportunidade de reiniciar. É comum visualizarmos vários símbolos nesta época: óleos santos, o sino, pão e o vinho, círio pascal, o coelhinho e os ovos de páscoa.

Este último, é que vamos nos ater neste texto. Ovos de Páscoa!

O ovo traz a idéia de começo de vida, ressurreição. Dá-lo de presente e com diversas cores, seria a referência da renovação da vida.

E aí nutri, o que tudo isso tem haver?

Quando pensamos em chocolates, logo nos aparece a imagem da balança e uma grande concentração de açúcar. Mas a verdade que existe a parte dos benefícios trazidos pelo chocolate vem dos flavonoides, que são antioxidantes naturais. Mas o alimento também é uma fonte importante de potássio e magnésio, minerais envolvidos principalmente na força muscular. Quanto mais processado for o chocolate, menor a quantidade de substâncias ativas que fazem bem ao organismo, o chocolate ao leite é um exemplo disso. Por outro lado, é uma boa fonte de cálcio, mineral esse que é importante para os ossos, apesar de não ter papel na proteção do coração.

Não se deve esquecer que, embora saudável, o chocolate é extremamente calórico, uma média de, 120 calorias em cada porção. Por isso o ideal, é consumir até 40 gramas três vezes por semana para garantir os benefícios do alimento.

O chocolate não benefícia somente o coração, ele é uma boa arma contra o estresse, a ansiedade e um grande aliado, segundo estudo, na melhora dos efeitos da TPM, devido sua ação na redução no hormônio do estresse.

Apesar de todos os benefícios – até mesmo gastronômicos – seu paladar não agrada a todos, como é a versão amarga que traz tantas vantagens. O sabor pode ser um impedimento para seu consumo. Uma dica é introduzir chocolates com um teor ligeiramente maior de cacau e ir aumentando aos poucos, para habituar. Outra opção é consumí-lo com sementes.

Vamos, desfazer alguns mitos, listando cinco benefícios do consumo de chocolates:

  1. fonte de energia, porque ele é rico em calorias;
  2. bom para o coração, pois promove um fluxo adequado de sangue, diminuindo a tendência de coagulação das plaquetas e de obstrução dos vasos sanguíneos;
  3. estimula o sistema nervoso central e músculos cardíacos, através da substância - Teobromina, que tem ação semelhante a cafeína;
  4. possui potentes antioxidades na sua composição que auxiliam no combate ao câncer de intestino;
  5. sensação de bem estar, pois ajuda a liberar o hormônio serotonina, que causa uma sensação de relaxamento.

As diferenças entre chocolates:

  • Chocolate branco - não tem cacau e tem mais açúcar e gordura.
  • Chocolate ao leite - é o mais comum e tem alguma quantidade de cacau, leite e açúcar.
  • Chocolate meio amargo - é o que tem 40 a 55% de cacau, pouca quantidade de manteiga de cacau e açúcar.
  • Chocolate negro ou amargo - é o que tem mais cacau, entre 60 a 85%, e menos açúcar e gordura.

Mas o ideal é seguir alguns cuidados na hora de consumí-lo:

  1. A versão amargo ou meio amargo é a mais indicada, pois há uma quantidade maior de cacau e menos de açúcar;
  2. O valor calórico entre os tipos de chocolate varia entre 400 a 500 calorias a cada 100g. O chocolate branco, é quase exclusivamente gordura e açúcar – o consumo do branco em excesso é prejudicial à saúde;
  3. O cacau possui flavonoides, que exercem ação anti-inflamatória, antioxidante e protetora do coração. Também auxiliam na redução da pressão arterial, das taxas de açúcar no sangue e do colesterol ruim;
  4. Abra um ovo de Páscoa por vez, dividindo-o em pedaços pequenos;
  5. Na hora de comprar ovos de Páscoa, caixas de bombons ou barras de chocolates, observe bem o rótulo do alimento, para identificar o teor de gordura saturada, escolhendo o que tem menor teor;
  6. Evite o exagero, o ideal é consumir 6 gr por dia ou em medidas caseiras um quadradinho. Devido ao valor calórico elevado, o consumo de chocolate deve ser feito com moderação;
  7. A lei do equilíbrio, ao comer chocolate, evite o consumo de outros alimentos gordurosos, como frituras e carnes gordas para que estas calorias não se tornem gorduras acumuladas;
  8. o ideal é comer o chocolate no café da manhã ou no máximo como sobremesa após o almoço, pois assim, estas calorias serão gastas durante o dia. Se comer o chocolate à noite, quando o corpo fica em repouso, estas calorias extras provavelmente serão depositadas como gordura.

Vimos que o ideal é consumr chocolate com parcimonia e descobrir que o mais importante não é a quantidade, mas o benefício que ele pode trazer para sua saúde.

Feliz Páscoa!!!

Compartilhe:
Comentários
Posts mais populares
Alimentação x TPM Nutrição
Categorias
Nutrição Fisioterapia Treinos Sustentável Integralização Psicologia
Instagram
Facebook